Created with Snap

Notícias

“Traição” é tema de bate-papo no Culto Quarta Up desta quarta-feira (28)

Nenhum Comentário

Bate-papo UpMuitas pessoas já ouviram falar a respeito de traição ou passaram por esse momento marcado por mágoa, rancor, falta de confiança e, em alguns casos, até perda do amor próprio. Mas como agir diante de tais situações? O que a Palavra de Deus nos orienta a fazer? Esses e outros questionamentos serão tratados no Culto Quarta Up desta quarta-feira (28), às 20h, na Capela (Rua Araribá, 535, São Cristóvão – BH/MG), durante o “Papo Up”, momento de perguntas e respostas.

Com o tema “Traição”, o bate-papo contará com a participação do casal de pastores responsável pelo Culto Quarta Up, Eduardo Queiroz e Vanessa Jaffar; da psicóloga Kênia Adams e da jornalista Dayane Nascimento, que estava noiva e descobriu uma traição no mês em que completava seis anos de relacionamento. Ela se viu sem chão, mas em Deus buscou forças para continuar firme na caminhada com Cristo. No bate-papo, ela contará um pouquinho dessa experiência e de como foi curada dessa dor.

“No Papo Up deste mês falaremos sobre traição. Você já foi traído? O que é traição? Como superar? Existe traição de amigos? O que a Bíblia fala a respeito desse assunto? Participe conosco e aprenda como lidar com tudo isso”, convida a pastora Vanessa Jaffar.

“Existe uma realidade muito assustadora, também no meio evangélico, em relação à traição. E não podemos deixar, como igreja, de manifestar uma opinião bíblica sobre esse assunto […] É um tema relevante para o momento. Acreditamos que existe um posicionamento bíblico em relação à traição, adultério e precisamos nos posicionar como igreja”, diz o pastor Eduardo Queiroz.

Segundo ele, o Papo Up deste mês visa instruir pessoas que já foram traídas sobre como superar e, também, esclarecer esse tema para aquelas que estão chegando à igreja que vieram de um ambiente onde isso era muito normal. “Nosso objetivo é esclarecer não só a respeito da traição conjugal, mas também a de amizade, pessoas que são feridas e marcadas por isso”, explica o pastor Eduardo.

:: Priscilla Vieira