Created with Snap

Vida Cristã

O salmo da crucificação e da soberania de Deus

Nenhum Comentário
Foto: Centro Hub

Foto: Centro Hub

O Salmo 22 é um dos Salmos de Davi mais profundos e aflitivos. Ele inicia-se com uma lamentação intensa onde quase podemos sentir as dores do salmista, sendo que hoje ele pode ser considerado como um salmo profético da crucificação.

Davi viveu entre os anos 1013-973 antes de Jesus, e certamente ele não fazia ideia que naquele momento estava sob a inspiração do Espírito para registrar exatamente aquilo que aconteceria na crucificação de Jesus. Davi, por exemplo, registrou com exatidão as palavras que Jesus proferiu ao Pai na hora da agonia (Sl 22.1 / Mt 27.46 ).

Os incrédulos dizem que não foi uma profecia, pois Jesus conhecia o Salmo e naquele momento estaria apenas repetindo um trecho das escrituras. Tudo bem, porém observe que Davi registrou também as palavras de zombaria que os escarnecedores diziam de Jesus quando Ele estava sendo crucificado (Sl 22.7-8; Mt 27.41-42). Coincidência? Davi registrou quase 1000 anos neste Salmo a atitude dos soldados romanos ao repartirem as vestes de Jesus (Sl 22.18; Mt 27.35).

Com exatidão Davi registrou a forma que Jesus seria crucificado ao dizer que suas mãos e pés transpassados na cruz (Sl 22.16; Mt 27.35; Jo 20.20, 25) e que o seu lado ferido pelo soldado com uma lança (Sl 22.14; Jo 19.34). E quer saber mais? O método de crucificação nem sequer existia no momento que Davi registrou seu Salmo. A história dá conta que esse método de pena de morte tenha sido criado na Pérsia e trazido no tempo de Alexandre para o Ocidente, ou seja, mais de 600 anos antes.

O caráter profético deste Salmo é incontestável, sendo que Davi também fala sobre a língua de Jesus apegada ao céu da boca por causa da sede intensa (Sl 22.15; Jo 19.28-29) e registrou que nenhum de seus ossos seriam quebrados (Sl 22.17; Jo 19.31-33,36).

Agora sabendo disso tudo, nós nunca podemos nos esquecer que Deus é soberano e fiel! Ninguém tem tanto poder, conhecimento e sabedoria como nosso Deus. Todos os Seus decretos são determinados e realizados por Ele. Nada pode mudar um curso sequer dos Seus planos ou impedir Seus perfeitos propósitos.

Seu domínio não tem fim, Ele é eterno, está sobre todas as coisas assim como sobre a terra e toda a sua criação. Ele controla todas as coisas e nunca é pego de surpresa, mas muito pelo contrário, Deus é quem sempre nos surpreende.

:: Mariel Marra

Mariel é teólogo e advogado criminalista, pós-graduado em direito público.

  ibl_site