Created with Snap

Vida Cristã

Ah se eu fosse o dono da mineradora…

Nenhum Comentário
Foto: Reprodução/ Site unsplash.com

Foto: Reprodução/ Site unsplash.com

Ao olharmos para crimes ambientais como o de Brumadinho e Mariana, nos indignamos com os gestores das mineradoras, dos responsáveis técnicos e dos engenheiros que depositaram ali sua assinatura e trabalho. “Será que isso não poderia ser previsto? Será que não poderiam ter feito diferente?”

Por vezes, pensamentos como esses nos levam a crer que, se estivéssemos no lugar daquelas pessoas, tudo seria diferente! “Eu nunca permitiria isso! Se eu fosse engenheiro da mineradora, isso nunca teria acontecido! Ah, se eu fosse gestor…” Assim, nos colocamos em patamares superiores em uma dualidade de nós versus eles, demonizando um lado e santificando o outro.

Por vezes não percebemos que esses acontecimentos ao nosso redor revelam a nossa própria queda. Dor, sofrimento, corrupção, falta de compaixão… Reflexos de quem somos sem Cristo e o que o pecado fez conosco.

Ao analisarmos o que a Bíblia diz em Romanos 3, temos o entendimento de  que não há um justo, nem um sequer. Com a queda, todos nós extraviamos e nos fizemos inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só, porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus.

Ou seja, se fôssemos nós os gestores da mineradora, faríamos as mesmas coisas que eles fizeram. Construiríamos barragens com grande risco de desabamento porque elas são bem mais baratas, assim como eles fizeram! Sabe por quê? Porque a queda afetou a todos nós e fez de nós mortos em nossos delitos e pecados, cheirando mal, fedendo à ganância, insensibilidade, podridão…

É somente através da graça de Jesus e Sua misericórdia que somos aptos a renunciar nossos maus desejos e dar passos de amor e bondade em prol do nosso próximo. Com a ajuda do Espírito Santo, podemos nos desvencilhar da ganância, do desejo pelo lucro a qualquer custo e agir com generosidade, que é parte do caráter do nosso Deus, uma vez que não poupou esforços e deu o Seu Filho precioso para a reconciliação com a humanidade.

Que o nosso coração se solidarize com a dor de tantas famílias e nos leve a refletir nossos próprios atos e como eles podem afetar as pessoas a nossa volta. Quanto aos gestores da atividade mineradora, oremos para que eles sejam responsabilizados pelas suas ações, mas também para que conheçam Jesus e tenham suas vidas, ações e pensamentos totalmente modificados pelo relacionamento com Cristo. Nosso Mestre sempre será nosso exemplo de bondade, honestidade, integridade, amor ao próximo e generosidade. Que possamos aplicar esses princípios em todas as áreas de nossas vidas, inclusive em nossas profissões.

:: Aléxia Duarte  [Grupo de Ação política – GAP]

  dayanecristina