Created with Snap

Vida Cristã

Carnalidade ou espiritualidade

Nenhum Comentário

DevocionalO que seria o “homem carnal” mencionado por Paulo (1Co 3.1)? Podemos dizer que é aquele conduzido pela carne, mas isso pode ainda não ser muito esclarecedor. O homem carnal, em certo sentido, assemelha-se ao animal, que vive por instinto, seguindo seus desejos físicos. É o homem que abre mão dos compromissos em função dos desejos, tornando-se infiel e insaciável, não tendo controle sobre a bebida, a comida nem o sexo.

Paulo parece ter essa comparação em mente ao escrever: “Se vós, porém, vos mordeis e devorais uns aos outros, vede não vos consumais também uns aos outros” (Gálatas 5.15). A Bíblia não diz que o homem é um animal, mas mostra que ele pode assemelhar-se a um em função do seu comportamento. Como disse o salmista Asafe: “Assim me embruteci, e nada sabia; fiquei como um animal perante Ti” (Salmo 73.22). “O homem que está em honra, mas não tem entendimento, é semelhante aos animais, que perecem” (Salmos 49.20). Porém o homem consegue ser pior do que os animais ferozes e peçonhentos, pois tem uma natureza pecaminosa. O ser humano tem feito coisas terríveis que nenhum animal faria.

As obras da carne citadas em Gálatas 5.19-21 vão além das práticas físicas relacionadas aos desejos, tais como prostituição, impureza, bebedice e glutonarias. Também vão além dos impulsos emocionais como a ira e o ciúme. As obras da carne incluem idolatria e feitiçarias. Assim, o homem carnal torna-se pior do que as bestas feras.
Paulo resumiu o propósito de Deus para nós ao falar sobre o homem espiritual (1Co 2.15), ou seja, o cristão que vive conduzido pelo Espírito Santo. Ele tem desejos, pois não deixou de ser homem, porém possui o domínio próprio (Gl 5.22), sendo capaz de esperar o tempo certo da sua realização ou mesmo renunciar, se for o caso.

Quando Paulo falou do homem carnal, ele não se referia aos ímpios, mas aos crentes (1Co 3.1). Todos nós corremos o risco de, mesmo conhecendo a Palavra de Deus, viver dominados pelos desejos carnais. Os coríntios, em certo tempo, viviam assim. Contudo a vontade do Senhor é que superemos a carnalidade pelo amadurecimento espiritual e vivamos a plenitude do Evangelho.

:: Pr. Anísio Renato de Andrade

  ibl_site