Created with Snap

Vida Cristã

Como fazer o Planejamento Anual de Comunicação da minha igreja/ministério?

Nenhum Comentário
Foto: pixabay.com

Foto: pixabay.com

Muita gente me pergunta sobre como montar um Plano de Comunicação para Igrejas, mas a ideia aqui é trazer algumas perguntas que precisam mesmo de respostas, para que você tenha um documento que norteie as ações da área de Comunicação/Multimídia da igreja.

  • Alinhe a visão da Comunicação com o pastor/liderança: não adianta desenvolver ações aleatórias sem o alinhamento necessário com a liderança. É preciso entender como ele pensa, o que ele espera para o próximo ano e quais são os principais eventos para uma agenda coerente.
  •  Por que vocês usam a comunicação? Muita gente não sabe responder essa pergunta. Mas é essencial saber qual é o objetivo de vocês estarem na Internet como igreja. Evangelizar? Divulgar cultos e eventos? Ser uma palavra de alento ao desesperado? Fazer campanhas (campanha contra o suicídio, aborto, câncer de mama, câncer de próstata e por aí vai)? É preciso ter isso muito claro. Isso irá servir como bússola para todas as áreas. Uma sugestão? Estude sobre o Golden Circle, que é uma metodologia usada por grandes marcas como a Amazon e a Apple e que ajudou a descobrirem o propósito delas. Quando se lê “empresa” no conceito, entenda como sua “igreja/ministério”. Adapte a linguagem. As igrejas não são empresas, mas muitos dos princípios que vemos hoje podem ser bem adaptados para tornar a mensagem do Evangelho mais conhecida e de maneira eficiente.
Foto: unsplash.com

Foto: unsplash.com

  • Quais os objetivos como comunicação para 2019? Já conversei com líderes que estão na Internet porque “todos estão e eles precisam estar”. Comunicação é mais que isso. É entender claramente o que você pretende ao utilizar canais de comunicação como boletins, vídeo de avisos nos cultos, mensagens no WhatsApp, posts no Instagram/Facebook/Twitter, vídeos no YouTube, devocionais nos blogs/sites. O objetivo é compreender a importância da Comunicação hoje e como poderá ajudar a igreja a falar de esperança, paz e amor de maneira a alcançar aqueles que jamais pisariam em suas igrejas ou ouviriam suas músicas.
  • Qual necessidade sua igreja pretende atender no meio digital? Já ouviu falar que o Marketing Digital trabalha hoje em atender a “dor do cliente”? É sobre isso que estamos falando aqui. O que você como igreja tem a oferecer para as pessoas? Elas estão procurando o que você publica, ou você simplesmente coloca algo no meio digital por achar que é o que as pessoas precisam ouvir. Falar diretamente ao problema de alguém é diferente de publicar qualquer coisa para cumprir tabela de atualização nas redes sociais. É por isso que vemos tantos e tantos stories no Instagram sem relevância alguma. Quem publica não pensa no público, mas apenas em si mesmo.
Foto: unsplash.com

Foto: unsplash.com

  • Crie a linha editorial (sobre o que vão falar?). Um ponto chave da Comunicação é ter mapeados no planejamento os assuntos e conteúdos a serem abordados ao longo do ano. Alguns exemplos:
  1. Falar sobre a Bíblia (devocionais, repercutir sermões);
  2. Mensagens dos cultos (textos para o site, foto com legenda bem descritiva, álbum no Facebook, lives);
  3. Fotos de momentos marcantes na história da igreja/ministério;
  4. Vídeo devocionais;
  5. Tirar dúvidas dos membros sobre determinados temas.

E por aí vai. Cabe à igreja trazer pautas como humor/memes, política, esportes? Isso depende do que foi acordado no Planejamento Anual e se tem a ver com a atual liderança. Nem todo mundo tem esse perfil. Esteja bem atento a isso.

  • Com quem você quer falar? Ahhhhh, o povo! Sim, sabia que os canais digitais existem para se comunicar? Pois é! Vejo que muitas vezes as igrejas/ministérios esquecem disso e publicam conteúdo sem limites, às vezes, cinco por vez, sem se preocupar com uma comunicação clara, coerente e concisa. Tenha claro: com quem você fala? Com quem você quer falar? Para isso, analise os gráficos de Analytics do seu Facebook, Instagram, Twitter, Pinterest e YouTube. Eles vão te mostrar as faixas etárias que mais te seguem, cidades, países, línguas que eles falam. E isso é essencial para saber se você está falando com as pessoas certas e se está usando as estratégias de comunicação certas para atingir aquele público.
Foto: unsplash.com

Foto: unsplash.com

  • Em quais redes sociais vai estar? Seu público está nela? Como no item anterior, sabendo onde o público com o qual você quer falar está, fica mais fácil gastar sua energia nos canais onde eles já estão.
  • Crie metas (reavalie a cada 90 dias). A cada três meses, faça um relatório dos avanços, desacertos e possíveis melhorias. O planejamento é um documento para auxiliar, e não perder o foco, mas, muitas vezes, você vai perceber que é importante haver reajustes.
  • Abra mão de criar arte no celular e invista em cursos, treinamentos e em ferramentas essenciais como Lightroom, Premiere, Trello (grátis) e Mlabs. E, claro, esperando sempre que as igrejas não estejam utilizando softwares piratas.
  • Crie um calendário editorial com as datas mais importantes da igreja (e do país) ao longo do ano. O calendário anual vai direcionar o esforço da comunicação ao longo do ano, prever os eventos que estão chegando e ações que precisam ser desenvolvidas para que um evento ocorra com mais tranquilidade; para que haja tempo de treinamento de equipes que vão trabalhar na cobertura on-line dos cultos/congressos; e, mesmo, preparar homenagens para líderes e pessoas importantes na história da igreja local.
  • Se não tem, crie uma rotina de produção de conteúdo, como textos, fotos, artes, vídeos. Toda semana é preciso gastar tempo produzindo e editando conteúdos para as redes sociais. Mas algo que se faz pouco é o trabalho de curadoria. Ler artigos, ver vídeos ou pregações e compartilhar materiais que são produzidos por terceiros. Qual o problema do cristão em compartilhar bons conteúdos que são produzidos por outros irmãos?
Foto: unsplash.com

Foto: unsplash.com

  • Faça transmissão on-line dos seus cultos. Hoje é possível transmitir do próprio celular, fato. Porém mais do que a importância de se ter um bom equipamento é ter uma boa conexão de Internet, que possibilite transmitir o culto/evento com uma boa qualidade de som e imagem.
  • Crie uma playlist na Deezer e no Spotify com as músicas tocadas nos cultos. Sabe quando você vai ao culto e ouve algumas músicas, mas não sabe a referência, esqueceu a frase e fica com vontade de ouvir mais vezes? Penso que as igrejas poderiam criar suas próprias playlists no Deezer e no Spotify com as músicas tocadas nos cultos daquele mês. Exemplo: Igreja Louvor nov/18.
  • Grave os áudios das mensagens e transforme em podcasts para plataformas de streaming de áudio. Geralmente as mensagens são longas para colocar em streaming, mas elas podem ser fragmentadas em partes e publicadas nessas plataformas. No momento, ainda não é possível que uma pessoa/igreja, individualmente, entre em contato com o Deezer e Spotify para publicar seus conteúdos. Existem empresas que oferecem esse serviço, uma espécie de HUB. Eles recebem seus conteúdos e distribuem em plataformas de streaming em todo o mundo. Outro ponto: precisamos de podcasts cristãos. É maravilhoso ouvir materiais de qualidade, assuntos relevantes. Acredito que o Brasil ainda não tenha entendido a força dos podcasts.
  • Crie o organograma da Comunicação e divida as responsabilidades. O organograma existe para entender a estrutura eclesiástica da igreja e quem é líder de quem. Geralmente, o pastor da igreja está na liderança principal; um outro pastor, como líder da área de Comunicação e Multimídia; e pessoas qualificadas tecnicamente e alinhadas na visão do Reino de Deus lideram as demais equipes e voluntários. Em algumas igrejas há áreas bem definidas, como: fotografia, vídeo (multimídia), redes sociais, projeção, iluminação, jornalismo/site, design, e por aí vai.
Foto: unsplash.com

Foto: unsplash.com

  • Crie escala de voluntários (e treine as equipes). Uma ferramenta que pode auxiliar a montar a escala de voluntários e ações semanais da Comunicação é o Trello (que também é um aplicativo gratuito). Mas cada um tem uma maneira de trabalhar. Pode ser um quadro (lousa) na sala, com as divisões, a metodologia Canvas (com post-it), enfim, o importante é encontrar uma maneira de organização que facilite a comunicação da igreja. Há algum tempo criei um modelo para ajudar na comunicação das igrejas. Vocês podem baixar clicando aqui.
  • Reivindique para a liderança equipamentos básicos de trabalho (quem sabe uma campanha de doação).
  • Discipule sua equipe. Mais importante que o talento é a pessoa. Posso comentar aqui algo que tem me assustado muito? Tenho visto muita gente desigrejada, que apenas frequenta igrejas, sem vínculo direto, apenas para estar na área de Comunicação/Multimídia. Discipulado é essencial. Aprendi algo com o pastor Ryan Adams, da Urev: mais importante que a habilidade da pessoa é o caráter transformado. E só caminhando com a pessoa, discipulando e treinando é possível saber disso.

JAMAIS se esqueça que o propósito da Comunicação da igreja é comunicar o Reino.

⠀“Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura” (Mc 16.15).

P.s.: No meu livro, Mídias Sociais na Igreja, falo um pouco mais sobre isso no capítulo 4.

Este post foi compartilhado em minha lista VIP no WhatsAPP. Inclusive, se quiser fazer parte dela, é só enviar “sim” por este link aqui: Sim, Elis.

:: Elis Amâncio

  dayanecristina