Created with Snap

Vida Cristã

Cristão e Política: o segredo que transforma nações

Nenhum Comentário
Foto: Comunicação Lagoinha

Foto: Comunicação Lagoinha

A historia de Daniel é marcada por diversos episódios políticos excêntricos. Levado à Babilônia após Nabucodonosor ter sitiado Jerusalém, Daniel é descrito como homem de boa aparência, culto, inteligente e com domínio de vários campos do conhecimento.

Mesmo sendo cativo, Daniel sempre esteve ao lado de grandes figuras políticas da sua época. Ele influenciava, aconselhava e, por meio de suas visões e ações, em muitos momentos mudou o curso do reino da Babilônia. Desde o capítulo 1 do livro de Daniel, é notório seu compromisso em priorizar o que de fato considerava essencial à vida de um homem de Deus.

O Rei Nabucodonosor separou alguns judeus, dentre eles Daniel, para que pudessem ser treinados para servir no Palácio. Para isso, Daniel precisava alimentar-se dos manjares do rei. Contudo decidiu não se tornar impuro com comida local. Comunicar tal decisão, certamente, não foi simples, afinal, Daniel era o prisioneiro e não gozava de tamanha liberdade perante as autoridades babilônicas. Entretanto o versículo 9 do capítulo 1 narra que “Deus fez com que o chefe dos oficiais fosse bondoso para com Daniel e tivesse simpatia por ele”, aceitando assim dar-lhe uma alimentação diferenciada.

Em 10 dias, Daniel aparentava ser mais saudável e mais forte que os demais. Diz a Palavra que Deus concedeu a Daniel e seus amigos Hananias, Misael e Azarias sabedoria e inteligência para conhecerem todos os aspectos da cultura e da ciência. Mais adiante, no capítulo 6, Daniel se torna vítima da inveja de outros conselheiros do rei, em razão de seu brilhante desempenho.

Por desfrutar de um caráter ilibado, seus opositores não encontram motivos para denegri-lo. Assim, miraram a fé de Daniel em Deus. Pediram ao rei que editasse um decreto proibindo as pessoas de orarem a qualquer senhor, senão o próprio rei. Quem violasse a regra seria atirado na cova dos leões.

Ao tomar conhecimento dessa norma, Daniel fez o que já estava acostumado a fazer: foi ao seu quarto e orou ao Senhor. Pego por seus opositores, o rei foi obrigado a lançá-lo na cova dos leões. O restante da história todos já sabemos: o Deus de Daniel o salvou e, em sequência, o rei reconheceu a soberania do Deus todo Poderoso sobre toda a Terra!

A história de Daniel nos deixa alguns legados valiosíssimos. Um deles é a certeza de que é a partir da oração e intimidade com Deus que homens e mulheres serão relevantes em uma sociedade corrompida e sem princípios. Daniel buscava a Deus acima de tudo, e o Senhor concedeu-lhe graça para conhecer a ciência e cultura necessárias para desempenhar com excelência seu papel de governante.

:: Flávia Raíssa Said de Roure [Grupo de Ação Política – GAP]

  dayanecristina