Created with Snap

Vida Cristã

Eficiência e Piedade

Nenhum Comentário

A vida e ministério do Senhor Jesus, sempre foi de completo ensinamento, seja direta ou indiretamente, nas linhas ou entrelinhas, nas palavras e nos gestos, de perto ou de longe, para aqueles e estes dias, mas qual seria então o segredo de tal força no transmitir ou no fazer?
Fariseus metódicos, vigiaram sempre, procurando em que reprova-Lo; gente simples, mas com alto senso de observação, entre si, esgotavam longas analises sobre o que propunha; “doutores” da lei confrontavam detalhadamente daquilo que conheciam, com aquilo que viam e ouviam Dele; religiosos, ab-rogando conhecimento espiritual, ditavam veredictos absurdos, quando ouviam palavras que transmitiam novidade de vida; políticos, estavam dispostos a gastar fortunas, afim de descobrir a receita de tanto carisma e popularidade. Mas afinal qual era o segredo?

Quem melhor soube responder à esta pergunta, foi sem duvida o apostolo Paulo, e ainda assim movido pelo Espirito Santo, quando na primeira carta aos Corintios, escreveu no 13° capitulo; “Ainda que eu falasse as línguas dos homens (sinal de grande eficiência) e dos anjos (grande mistério) e não tivesse caridade, (ou amor, ou piedade), seria como o metal que soa ou como o sino que tine… A caridade nunca falha… e assim por diante; demonstrando que só a eficiência, separada da piedade, desaparece como fumaça ao vento, mas repito… A caridade nunca falha.

Na vida do cristão e seu serviço, ou mesmo, e principalmente, na carreira ministerial, encontramos eficientes sem nenhuma piedade, são verdadeiros sinos que produzem muito som, mas que rapidamente desaparecem, na mesma velocidade, já não são lembrados; mas não encontro piedosos, que mesmo sem eficiência, as vezes por limitações involuntária, ou mesmo por falta de oportunidade, que não tenham agradado a Deus com seus serviços. As vezes me pergunto, não seria a ausência de piedade a razão de alguns ministérios (ou ministros) fracassados?

A base da cruz de Cristo é o amor, a base da Igreja de igual modo, assim planejou Deus, ninguém pode mudar, ou remediar.
Se Abel não tivesse piedade, não teria ofertado; se Noé não amasse, não teria construído; se Abrão não amasse, não teria fé suficiente para ir; se Moisés não tivesse piedade, não teria intercedido à Deus pelo povo; se Josué não amasse, não teria deixado; se Rute não amasse, não haveria se sujeitado; se Davi não tivesse piedade não teria perdoado; e tantos outros exemplos que nos enche o coração.

Este era seguramente o segredo de Jesus; eficiência e piedade, ou melhor; piedade e eficiência, ou melhor ainda; eficiência primeiro quando se podia aplicar melhor a piedade, ou piedade primeiro quando não se havia muito tempo para a eficiência.
Em Mateus 14:14 lemos: “E Jesus, saindo, viu uma grande multidão, e possuído de intima compaixão para com ela, curou os seus enfermos”. É Jesus se movendo com grande piedade frente aos enfermos, e eficientemente os cura.

Em Mateus 13:2 lemos “E ajuntou-se muita gente ao pé dele, de sorte que, entrando num barco, se assentou; e toda multidão estava em pé na praia”. É Jesus agindo com eficiência, pois estando dentro do barco, o vento, fazia o trabalho de um amplificador, levando Sua vós aos ouvintes, que da praia apreciava seus ensinos repletos de piedade.

Em Lucas 09:14, lemos: “Porquanto estavam alí quase cinco mil homens. Disse então aos seus discípulos: Fazei-os assentar, em ranchos de cinqüenta em cinqüenta.” Imaginamos como seria servir um substancioso lanche a cinco mil homens, mais mulheres, e mais crianças, sem uma mínima ordem. Jesus foi eficiente no organizar, e muito mais piedoso no multiplicar. Aleluia.

Quem sabe nosso serviço esteja faltando piedade, para a eficiência funcionar.

Ademais, devemos lembrar que todas as coisas contarão no dia do galardão.
Sem nos esquecer de que; segundo o Apostolo Pedro “O amor (ou piedade) cobre uma multidão de pecados” e a eficiência nos ajudará a alcançar os corações sem piedade.

 
Tags