Created with Snap

Vida Cristã

Governo de Neemias: liderança e administração pública

Nenhum Comentário
Foto: pexels.com

Foto: pexels.com

“Além disso, desde o vigésimo ano do rei Artaxerxes, quando fui nomeado governador deles na terra de Judá, até o trigésimo-segundo ano do reinado, durante doze anos, nem eu nem meus irmãos comemos a comida destinada ao governador” (Neemias 5.14).

Neemias era filho de Hecalias e fazia parte da geração de descendentes daqueles que foram levados para a Babilônia pelo rei Nabucodonosor, sendo que após a queda do Império Babilônico diante do Medo-Persa, Neemias aparece na narrativa bíblica, por volta de 445 AC, indo para Jerusalém com a autorização do rei persa para colocar a casa em ordem.

O nome Neemias significa em hebraico “o Senhor consola” e de fato ele foi um consolo e conforto para Israel, pois ao saber do estado em que se encontrava Jerusalém, ele tomou iniciativa em deixar o seu cargo de copeiro do rei Artaxerxes, na Babilônia, e voltar para reconstruir os muros da capital de Israel.

Após setenta anos de cativeiro, Jerusalém encontrava-se em completo abandono, com os muros caídos, as portas queimadas, sendo que dentre aqueles que já haviam retornado com Zorobabel para reconstrução do templo, muitos estavam vivendo na pobreza.

Além disso, Neemias tomou conhecimento que entre o povo, os ricos estavam explorando os pobres, pois os que tinham terras e bens se viam obrigados a hipotecar seus bens para comprarem comida, e até para pagarem tributos ao governo.

Desta forma Neemias repreendeu os nobres e os magistrados e convocou uma assembleia para solucionar aquele problema da corrupção e juros abusivos.

Nota-se também que os governos anteriores à Neemias que provavelmente se levantaram durante os 50 ou 60 anos entre Zorobabel e Esdras, tais governadores haviam colocado carga pesada de tributos sobre a população.

Porém, conforme lemos no versículo que introduz esse texto, Neemias em seu governo abriu mão de seu salário por doze anos, e ainda sustentou cento e cinquenta homens que trabalhavam na reconstrução dos muros (Neemias 5.14-17).

Diante disso tudo, percebemos que Neemias é para nós um modelo de líder e também um caminho para a administração pública, pois, assim como ele fez, diferente de outros modelos econômicos modernos que na prática promovem o agigantamento do Estado, tornando-se assim um peso para a população, precisamos na verdade buscar por um Estado mínimo, o qual começa com a redução da carga tributária; Ao passo que, também, diferente de outros modelos econômicos, os quais defendem nenhuma intervenção estatal na sociedade, em Neemias percebemos a necessidade de mantermos uma rede de proteção social mínima, bem como o combate a corrupção, a fim de se evitar os abusos e possíveis distorções econômicas.

:: Mariel Marra
Mariel é teólogo e advogado criminalista, pós-graduado em direito público.

  ibl_site