Created with Snap

Vida Cristã

Jesus é o nosso padrão

Nenhum Comentário

DevocionalNo capítulo um de sua carta aos romanos, Paulo apresentou uma lista de pecados que vão desde a desobediência aos pais até a idolatria e o homossexualismo. Era uma exposição inicial da maldade humana para que, em seguida, fosse apresentado o Evangelho, com sua proposta de perdão e transformação. Jesus nos oferece as duas coisas e não apenas uma. Perdão sem transformação seria um abono ao pecado, o que não combina com um Deus amoroso e justo. Os pais não deixam de abrir a porta ao filho que chega sujo de lama, mas a ordem para se lavar é imediata.

Naquela época, a perversão crescia no império romano e, sobretudo, na capital, Roma. Alguns imperadores foram as pessoas mais pervertidas que este mundo já conheceu. O que os cristãos poderiam fazer a esse respeito? Paulo disse: “NÃO VOS CONFORMEIS” (Rm 12.2). Conformar-se é, em primeiro lugar, aceitar passivamente, concordar. É, no mínimo, a omissão silenciosa. É dizer: “A vida é assim mesmo”. Não! Vamos falar a Palavra de Deus com seus princípios e valores.Se não pudermos mudar o mundo, alcançaremos algumas pessoas, como está escrito: “Salvai alguns, arrebatando-os do fogo” (Jd 23).

Conformar-se é também amoldar-se, aceitando uma forma estabelecida, um padrão vigente. “Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” (Rm 12.2). Conformar-se é mais fácil, mas pode ser fatal, como acontece com o doente que aceita a doença e rejeita o tratamento.

Os cristãos romanos não deveriam aceitar como normais os pecados do capítulo um. Nós também não podemos. E esse inconformismo deve começar por um autoexame. A proposta do Senhor é uma transformação, para que nos tornemos cada vez mais parecidos com Jesus Cristo (Rm 8.29). Ele é o nosso padrão.

:: Pr. Anísio Renato Andrade

  ibl_site