Created with Snap

Vida Cristã

Mundo violento

Nenhum Comentário

1 SAMUEL 30.1-25

Nunca mais se ouvirá de violência na tua terra, de desolação ou ruínas,
nos teus termos; mas aos teus muros chamarás Salvação, e às tuas
portas, Louvor. (Is 60.18.)

Davi regressava para seu lar, em Ziclague, com o seu exército de seiscentos
homens. Fora impedido por Deus de lutar ao lado dos ? listeus contra
o exército de Saul. E, ao chegar a Ziclague, encontrou a cidade queimada e
sinais de violência por todos os lados. Suas mulheres, Ainoã e Abigail, não
estavam com os ? lhos esperando sua chegada. Uma grande dor encheu o
coração de todos aqueles homens, cuja primeira atitude foi chorar até não
terem mais forças para chorar.

Por causa das mulheres e dos ? lhos levados cativos, a amargura havia
tomado conta do coração de alguns homens de Davi. Falaram em apedrejá-
lo, tal o seu desespero. Mas o suave salmista do Senhor logo se refez e
se reanimou no Senhor, seu Deus. Davi não deixou aquela situação cegar os
seus olhos espirituais. Chamou Abiatar, o sacerdote, e consultou o Senhor.
Obteve a resposta de esperança e de que tudo seria restituído ao seu grupo
de guerreiros. Nada ? caria para trás.

Em face da violência que enfrentamos em nossos dias, devemos ter a
mesma atitude de Davi. Há uma saída: Fortalecer-nos no Senhor, para que
a cegueira da ira não nos faça cometer desatinos. Há o tempo de chorar,
mas há o momento de buscar a face do Senhor e de partir para a batalha
– a batalha da oração contra as hostes da maldade. Temos de lutar usando
as armas da luz e revestidos de toda a armadura de Deus. E, assim como fez
Davi, após derrotar o inimigo covarde, trazer libertos os cativos e repartir os
despojos com o povo de Deus, vamos testemunhar e festejar, pois em lugar
da violência haverá salvação e louvor.

Pai, como é doce a tua presença! Oh, que paz suave há em tuas
palavras. Faz da minha vida um cântico de adoração ao teu
nome e um instrumento de proclamação do evangelho.
Amém.

Pra. Ângela Valadão

 
Tags