Created with Snap

Vida Cristã

O fim de Judas

Nenhum Comentário

Devocional

“Então Judas, aquele que o traíra, vendo que Jesus fora condenado, devolveu, compungido, as trinta moedas de prata aos anciãos, dizendo: Pequei, traindo o sangue inocente. Responderam eles: Que nos importa? Seja isto lá contigo. E tendo ele atirado para dentro do santuário as moedas de prata, retirou-se, e foi enforcar-se” (Mt 27.3-5).

Na hora de pecar, muitos estarão prontos a cooperar, mas, quando chegam as consequências, é cada um por si. O vendedor de cachaça não tem paciência com o bêbado, não o levará em casa nem tratará sua cirrose. Nessas horas, ele precisará dos verdadeiros amigos, de sua família e de um médico. O traficante não ajudará o viciado na hora da overdose. O cafetão não tratará as doenças venéreas da prostituta nem sustentará seus filhos acidentais. Os “amigos” do filho pródigo não lhe deram comida nem ajudaram a cuidar dos porcos. Ele precisava de seu pai.

Havia esperança para Judas também, mas ele procurou as pessoas erradas. Aqueles líderes religiosos não podiam ajudá-lo. A real utilidade do líder espiritual é ajudar as pessoas a encontrarem Jesus. Não era este o caso naquelas circunstâncias. Pedro também pecou na mesma ocasião, mas, ainda assim, seu desejo era estar perto do Mestre e isso fez toda a diferença. Pedro olhou para Cristo e encontrou a misericórdia e o perdão.

:: Pr. Anísio Renato de Andrade

  ibl_site