Created with Snap

Vida Cristã

Sexta-feira da paixão

Nenhum Comentário

Leia: Lucas 23.32-46

"Salve-se!" Foi o sorriso de desdém tanto dos judeus, como dos gentios na cena da cruz. Os líderes judeus diziam que um homem capaz de salvar os outros seria capaz de salvar a si mesmo. Os soldados romanos diziam que um homem que dizia ser rei deveria ser capaz de impedir sua própria execução. Sem ter consciência disso, esses escarnecedores foca-vam no tema central da crucificação. A principal pergunta era: Quem Jesus salvaria? Jesus já havia lutado com essa pergunta no Jardim das Oliveiras, onde derramou seu coração ao Pai e pediu que Ele o salvasse daquela hora. (Lucas 22.39-44). Mas, naquela mesma noite, o Pai assegurou a seu Filho de que não havia outra maneira; Jesus não podia salvar a si mesmo se quisesse salvar seu povo. No jardim, Jesus não poderia se salvar da traição e da prisão. No corredor de Pilatos, Jesus não poderia se salvar da terrível sentença de morte.

Na cruz, ele não poderia se salvar do horror da crucificação. Nem poderia ele se salvar do inferno do abandono de Deus que pairou sobre Ele como uma terrível nuvem. Jesus não poderia se salvar, se quisesse salvar os outros do pecado. As palavras são verdadeiras: "Ele salvou os outros". Ele salvou os outros por que se recusou a se salvar. Ele nos salvou!

Pense:
Jesus nos pediu para amar nosso próximo como a nós mesmos, mas Ele nos amou mais que a si mesmo.

Ore:
Senhor, obrigado porque na cruz não pensaste em Ti próprio. Tu morreste pelos pecados de todos nós. Hoje permite que deixemos para trás nosso egocentrismo e pensemos em teu amor. Amém.

Cada Dia
www.cadadia.com.br

  Adriana Santos
Tags