Created with Snap

Vida Cristã

Você não é uma super mulher!

Nenhum Comentário
Foto: Legacy Hub

Foto: Legacy Hub

Tenho ouvido muitas loucuras por aí, mas uma das que mais me incomoda é a ideia da super mulher. O grande problema é que esse conceito tem recebido investida de todos os lugares, nas propagandas, livros, filmes, palestras.

É assustador como as pessoas estão realmente acreditando nessa mulher que pode tudo. Ela cuida da casa, é uma profissional de sucesso, tem quatro filhos, é linda, sarada e ainda faz caridade nos finais de semana.

Perdoem-me as esperançosas, mas isso não passa de uma falácia! Não sei você, mas eu ainda continuo com 24 horas por dia e 365 dias por ano. Portanto, a única explicação é que essas mulheres vivem em um mundo paralelo onde o tempo é diferente do nosso ou simplesmente elas não são tudo isso!

Você pode me confrontar dizendo que segue uma fulana de tal no Instagram que faz tudo isso e ainda tá escrevendo dois livros. A primeira coisa que eu tenho a lhe dizer é fique menos nas redes sociais e olhe mais a sua volta.
Recentemente eu li uma pergunta feita por uma internauta a uma youtuber. A conversa me fez rir por um bom tempo. Só para você entender a história, a tal youtuber é uma pessoa famosa no Brasil inteiro e é super envolvida em eventos da nata.
A nossa querida semelhante perguntou a ela:
“Conta para gente se você arruma casa e também cozinha”.
Eu pensei: “Ah não, ela vai mentir e dizer que faz tudo isso e ainda adora cuidar das horta”.
Para minha enorme surpresa, a youtuber respondeu: “Nunca fiz faxina e nem me lembro se um dia toquei em uma panela!”

A resposta era óbvia! Certamente alguém com a agenda lotada e com o dinheiro dela, jamais passaria o dia arrumando casa ou preparando a comida da semana. Todavia, as pessoas preferem ter essa ilusão, porque elas querem e buscam super heroínas. São seres humanos incríveis que fazem tudo, são felizes e ainda têm tempo de qualidade com os familiares. O pior é que muito instagram por aí deixa essa falsa ideia no ar, e por ingenuidade ou por uma expectativa de vidas perfeitas, as pessoas acreditam nessa historinha. Entretanto digo a você querido leitor, essa mulher não existe!

Eu convivi com mulheres que faziam de tudo na vida e mais um pouco. Minha mãe era uma delas. Trabalhava como professora em dois turnos, cuidava da casa, tinha seis filhos, fazia quitutes no fim de semana e tinha um pomar no fundo do quintal. Um pomar mesmo, com mais de dez tipos de frutas.

Aí você pode me dizer: olha aí a nossa supermulher. E eu tenho a seguinte resposta para você. Ela não era uma super-heroína, era uma mulher que fazia de tudo, mas não tinha tempo para respirar. Recordo de não ter tido tempo de qualidade com ela durante a minha infância. Ela quase nunca estava em casa e eu fazia quase tudo sozinha. Não a culpo, porque ela era uma mulher viúva que precisava cuidar de seis filhos bem complicados, mas a verdade é que essa parte da vida dela estava em falta, pelo menos me fez falta.

Quanto a casa, ela tinha uma ajudante que dava faxina, e tenho que dizer que ela vivia cansada. Passou uma vida trabalhando e fazendo quase o impossível para cumprir tudo o que precisava. Lembro que o seu sonho era conhecer o mar. Sua vida foi tão exaustiva que nunca chegou a pisar na areia. Essa é a história que ninguém quer ler, mas é a realidade.

Nós, mulheres só temos 24 horas por dia e esse pensamento de que fazemos tudo ao mesmo tempo não é verdadeiro. Sim, nós conseguimos fazer mais coisas que os homens, mas isso não quer dizer que temos super poderes. Como está escrito em Eclesiastes há tempo para todas as coisas debaixo dos céus. Às vezes é necessário dizer não para algumas situações, saber que o tempo é limitado e por isso precisamos viver aos poucos.

Mas você pode pensar: “mas eu estarei perdendo tanta coisa se eu disser não”. Na verdade quando fazemos muitas atividades é aí que estamos perdendo quase tudo. Sabe por quê? Porque a vida pede tempo. Não dá para ouvir seu filho pedindo ele para acelerar a história. Não dá para almoçar com aquele velho amigo contando os minutos no relógio. Não dá para ir a um casamento, se você não pode esperar a noiva te cumprimentar.

Você precisa de tempo! Perceba suas prioridades e as viva paulatinamente. A minha dica é que ao invés de almejar ser uma super heroína, queira apenas ser uma simples mulher que percebe suas próprias limitações e fraquezas.

:: Érica Fernandes – Voar Comunicação

  ibl_site