Created with Snap

Vida Cristã

Vote consciente

Nenhum Comentário
Foto: tse.jus.br

Foto: tse.jus.br

¹Em alguns dias, nós cidadãos cristãos elegeremos 28 Chefes do Executivo – 1 Presidente da República e 27 governadores e seus respectivos vices – e 1.599 legisladores – 1.059 deputados estaduais, 513 deputados federais e 54 senadores – para nos representar nos processos de tomada de decisão pública no próximo quadriênio (2019-2022), pelo menos. Segundo informações do Tribunal Superior Eleitoral, cerca de 25 mil pessoas estão concorrendo a esses cargos eletivos em todo o país2. Diante de tantas possibilidades, como escolher um candidato que realmente representa meus princípios, valores e interesses? O que observar nesses candidatos e em suas propostas? Seguem alguns conselhos, bíblica e cientificamente fundamentados, que te ajudarão nessa escolha:

1. Vote em candidatos tementes a Deus e a Sua Palavra: nós cristãos temos a responsabilidade de escolher sabiamente nossos representantes, os quais devem ser homens e mulheres de bom testemunho de vida, íntegros, tementes a Deus e justos. Uma Nação administrada com justiça e no temor de Deus prospera, ao passo que o governo do ímpio produz sofrimento e injustiça (2 Sm 23.1-4; Sl 33.12; Pv 29.2).

2. Vote em candidatos cuja visão e propostas estejam alinhadas com os princípios bíblicos de governo: não basta um caráter e comportamento cristãos; a mente de nossos representantes precisa igualmente ser cristã (Rm 12.1-2). Todos interpretamos os fenômenos da vida a partir de um conjunto de crenças, ideias e preferências, que podem ser fundamentados em princípios bíblicos ou ideologias diversas. No que se refere ao governo civil, as Escrituras ensinam que o papel do governo consiste em: (a) proteger os cidadãos cumpridores das leis e punir os criminosos (Gn 9.1; Rm 13.3-4, 1 Pe 2.13-14), (b) garantir igualdade de todos perante a lei (Ex 12.49; Lv 24.22; Nm 15.15,16,29), (c) servir a todos os cidadãos igualmente (Lc 22.25-26; Jo 4.7-9; Mt 20.25-26) e (d) promover justiça (Lc 19.11-17; Mt 12.18-21; Lc 18.2-8; Mt 23.23). Se a visão de governo de nossos representantes não for transformada e moldada pelas Escrituras, suas propostas de lei e políticas não necessariamente produzirão paz, alegria e justiça, apesar de seu caráter e comportamento serem genuinamente cristãos. Tais proposições e ações produzirão outros resultados, dependendo de seus fundamentos ideológicos.

3. Vote em candidatos que defendem a vida, a família natural e o casamento entre um homem e uma mulher: Deus é o autor da vida, da família e de seu modo de constituição: o casamento (Gn 1.26-28; 2.25). De Gênesis a Apocalipse, as Escrituras defendem o direito à vida e família natural. “O Senhor é o que tira a vida e a dá; faz descer à sepultura e faz tornar a subir dela” (1 Sm 2.6). Da mesma forma, cabe ao homem e à mulher viverem unidos, pois “o que Deus ajuntou não o separe o homem” (Mt 19.6). A obediência a essas ordenanças impacta positivamente o nível de bem-estar individual e social de uma Nação. Um amplo e diversificado conjunto de estudos científicos mostra que os indivíduos de famílias naturais funcionais apresentam melhor saúde física e emocional, assim como os países onde a sociedade é composta, sobretudo, por esse tipo de família apresentam resultados melhores em distintos indicadores socioeconômicos, dentre eles, índice de criminalidade e violência doméstica.

4. Vote em candidatos que propõem políticas orientadas para o fortalecimento da responsabilidade de indivíduos, famílias e igrejas na promoção de políticas sociais. Biblicamente, educação, saúde, lazer, esporte, cultura, dentre outras áreas relacionadas ao bem-estar individual e social, competem, primariamente, ao indivíduo, à família e à igreja e, de modo complementar, ao Estado, cujo papel deve consistir em facilitar e regular as ações promovidas livremente pela sociedade.

5. Vote em candidatos cujas propostas econômicas estejam baseadas na liberdade de produzir, distribuir, consumir e acumular e visem reduzir a pobreza e a corrupção: Deus é Deus de liberdade. Ele fez o homem cocriador com Ele e lhe deu criatividade e capacidade para, por meio do trabalho, revelar todo o potencial da criação. Nesse sentido, Deus concedeu liberdade ao homem para produzir, distribuir, consumir e acumular e o orientou a estabelecer um modelo econômico voltado para a eliminação da pobreza decorrente de injustiças econômicas e pelo combate sistemático à corrupção.

Ao escolher seus candidatos a deputado, senador, governador e presidente, observe se eles se ajustam ao perfil de governante traçado acima. “Como é feliz a nação que tem o Senhor como Deus” (Sl 33.12), a Nação governada com justiça, no temor de Deus (2 Sm 23.3-4). Escolha e vote de forma consciente e juntos vamos transformar o Brasil!

:: Viviane Petinelli [Grupo de Ação Política – GAP]

 

  dayanecristina